19 de outubro de 2007

O Mundo em uma Telinha de Cristal

Fotos fascinam. Fotos imortalizam. Quando foram inventadas, pessoas tinham medo que suas almas ficassem presas para sempre no papel sépia. Tanto que alguns tiravam fotos dos seus mortos, como se ainda tivessem vivos, para que estes vivessem para sempre.

Os tempos mudaram. As pessoas perderam o medo de perder suas almas para o papel fotográfico, mas continuaram fascinadas por fotos. Álbuns de família, casamento, formatura, churrasco com a galera, Natal em família. Todo mundo se reunia para tirar fotos, filme era caro, revelação também. Durante as viagens, os turistas aproveitavam o passeio, então tiravam fotos.

Desde que as máquinas fotográficas digitais se popularizaram, muitas pessoas começaram a ver o mundo por uma tela de cristal líquido de 3 polegadas . O barulho do click, click, foi substituído por uma ampulhetinha e a palavra saving.

Durante as fotografagem vai tirando uma viagem. Qualquer coisa merece 103 fotos com todos os ângulos possíveis. Inclusive a famosa foto do Bloco do Eu Sozinho, que as pessoas tiram de si mesmas, com paisagem ao fundo – as preferidas dos casais. Depois de admirar o lugar pela tela de cristal, é hora mais um ponto “fotístico”.


- E lá era bonito?
- Não vi direito. Ainda não deu tempo de baixar no computador.

Voltar de viagem e reunir os amigos para mostrar as fotos em casa pra quê? Cria uma galeria na internet. Põe no Orkut com legenda: “Eu e minha gata pagando de patrão na Praia Grande”.

Expectativa para ver se a foto saiu boa não existe mais. Até as antigas Polaroid com revelação instantânea criavam certo mistério, até o papel secar e pegar cor. Hoje, não gostou, apaga e tira de novo. “Aí pisquei! To horrível. Gente, olha que papo. Tira outra.” E a maquininha lá: Flash, Saving... Flash, Saving... Imprimir as fotos? Manda por e-mail, quando muito, se já viu na telinha está de bom tamanho.


- Paguei uma fortuna nesta máquina aqui de 12 Mega Pixel. Diz que ficam bem melhor para imprimir do que as outras.
- Vai imprimir?
- Não. Vou ver no computador mesmo.
- Ahhh!

Espetáculos musicais também se renderam as máquinas digitais, depois da brilhante idéia de alguém, que descobriu que celular não é para fazer ligação, é para ver televisão, tirar foto e rodar Windows. Conseguir entrar em um show com uma máquina, era uma arte. Tinha que muquiar na cueca suja de 2 dias de fila e enfiar na mochila. Isqueiro no alto na baladinha romântica não existe mais. A luz no alto durante todo o show é dos flash e das telinhas filmando. É tanta luz que alguns músicos estão dispensando as luzes nos palcos. Seus fazem o serviço pra eles.


– Se o show foi bom? Não sei. Vou assistir agora no Youtube, responde o fã que gravou tudo.

A facilidade de divulgar filmes e fotos feitas por estas máquinas digitais também tornaram muito fácil de tornar uma pessoa popular. Geralmente por atos e poses comprometedoras. Qualquer coisa mais picante encontradas nos celulares e câmeras não gira na roda de amigos, tem download feito ao redor do mundo. Mas nem precisa se preocupar, as pessoas apagam da memória rapidinho, como as fotos do ex que não merece nem ir para o lixo e poluir o mundo, simplesmente apertam a tecla Delete.

5 comentários:

Bruno disse...

Calma lá, deletar foto de Ex?

NUNCA! Elas são excelentes pra fazer montagens de sacanagem e mandar pra algum site porn venezuelano!

albuk disse...

"- Paguei uma fortuna nesta máquina aqui de 12 Mega Pixel. Diz que ficam bem melhor para imprimir do que as outras.
- Vai imprimir?"

- Não, é muito caro.

Essa tem sido a mais comum...

Ou ainda, as câmersa fotográficas que viram scanner e xerox:

"-Tira uma foto do meu RG com aquela sua câmera de 12 megapixel? Preciso de uma cópia dele para pedir segunda via do meu Bilhete Único."

E assim vamos...

j_rosario disse...

Tem gente até hoje que ainda acredita que sua alma fica presa dentro da caixinha do demônio... e isso vale para a tv também.

E tomem cuidado: vocês podem estar sendo imortalizados por uma camera a qualquer hora, por isso pensem antes de fazer alguma besteira. Já me filmaram dançando hula hula bebado!

Pri disse...

haha
realmente seu blog MERECE estar entre os selecionados do mundoestranho!
Gente adorei esse texto descontraido sobre a tal da camera digital,
Adorei mesmo!!

:D
Beijão!

Diego Dotta disse...

Salve Matheus

Parece que este assunto está fazendo mais gente filosofar, neste mesmo dia em que essa inquietude te perturbava, estava eu também me perguntando sobre esse fascínio pelo registro.

Esses concorrentes estão em uma sincronia rapaz, um abraço e boa sorte.